Toffoli anula provas contra Lula na Lava Jato e diz que prisão foi um erro

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, anulou nesta quarta-feira (6) as provas das delações contra o presidente Lula (PT) no caso da Lava Jato.

Toffoli ainda classificou o episódio como um dos “maiores erros da história prisão do líder petista foi uma “armação” de agentes públicos pela conquista do poder. da país”. Lula foi preso em 2018, mas deixou a prisão no ano seguinte. Em 2021, ele obteve novamente os direitos políticos e foi eleito presidente do Brasil pela terceira vez.

No texto de 135 páginas, o ministro ainda ressaltou que a

“Tratou-se de uma armação fruto de um projeto de poder de determinados agentes públicos em seu objetivo de conquista do Estado por meios aparentemente legais, mas com métodos e ações contra legem”, disse na decisão.