Grupo de Trabalho inicia diagnóstico da Rede de Proteção à Mulher no município

O Grupo Técnico de Trabalho (GTT), responsável por elaborar o Diagnóstico Situacional da Rede de Proteção e Atenção à Mulher, em Vitória da Conquista, se reuniu com o objetivo de mapear e analisar a estrutura da rede de proteção e atenção à mulher no município, visando promover uma atuação integrada e articulada dos órgãos envolvidos.

A iniciativa é inspirada no modelo do processo de implantação do Complexo de Escuta Protegida, projeto pioneiro que proporcionou um redimensionamento da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, através de uma abordagem sistêmica e mais efetiva na garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

O encontro contou com a participação de representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), Dayana Evelinne; do Conselho Municipal da Mulher (CMM), Maria Otília; da 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Maria de Lourdes Carvalho; da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Prisões, Violência e Direitos Humanos (NEPP) da Uesb, Flavia Rosário.

Dayana Evelinne, representante da Semdes, ressaltou que as ações conjuntas são uma forma de aprimorar os serviços oferecidos à comunidade. “A proposta é fortalecer os laços entre os órgãos envolvidos, ampliando o alcance das políticas públicas e garantindo um atendimento mais abrangente e eficaz para as mulheres vítimas de violência”, relatou.

Já Maria Otília Soares, representante do Conselho Municipal da Mulher, destacou o desejo do grupo de mapear os serviços disponíveis na rede e identificar eventuais falhas. “A expectativa é que a gente possa elaborar um plano de trabalho com a situação da rede e em seguida produzir um relatório com base nele”.

Com a reunião de trabalho em andamento, o Grupo Técnico busca alcançar uma atuação integrada e coordenada de todos os envolvidos na proteção à mulher, consolidando ações que visem à prevenção e o combate à violência de gênero em Vitória da Conquista. De acordo com Maria de Lourdes Carvalho, representante da 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, a ideia central do grupo de trabalho é criar um espaço em que todos os órgãos da rede de proteção à mulher possam atuar de forma colaborativa. “A proposta é instituir um complexo que concentre todos os nichos institucionais de proteção à mulher, promovendo uma resposta mais ágil e eficiente no enfrentamento à violência de gênero”.

Fonte: PMVC