Bahia decreta emergência zoosanitária para gripe aviária

O governo da Bahia decretou estado de emergência zoosanitária para a influeza aviária H5N1, mais conhecida como gripe aviária. A medida foi publicada no Diário oficial do estado neste sábado (22).

O decreto 22.174 foi firmado após um acordo nacional entre o Ministério da Agricultura e da Pecuária (Mapa) e os 27 governadores de Estado. A intenção é controlar a transmissão sanitária que acontece em todo o Brasil.

A gripe aviária é uma doença que acomete aves e é provocada pelo vírus influenza A. Ela tem afetado aves silvestres migratórias e de subsistência em alguns estados do país. A condição raramente acomete os humanos.

Vale destacar que o decreto tem um prazo de validade de 180 dias. Através de uma nota, o estado informou a investida tem como principal missão firmar o controle da doença e minimizar efeitos na economia da Bahia.

“Essa ação articulada entre os estados e o governo federal é um jeito de mostrar nossa responsabilidade com a produção de aves e respeito aos grandes produtores. Mas, também, à produção em pequena escala, que vai desde o produtor de quintal a uma granja de menor porte. Ou seja, ao sistema da produção de alimentos e à economia nacional”, informou.

De acordo com informações do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), desde o primeiro caso no país, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e o MAPA intensificaram a vigilância e o monitoramento das aves no estado. A Sesab, através da Vigilância Sanitária e da CIEVS, também tem acompanhado as pessoas expostas às aves, fazendo testagem.