Desenrola: Haddad diz que 2,5 milhões com dívidas de até R$ 100 poderão ser desnegativados

Segundo ministro da Fazenda, alcance depende da adesão de um banco. Iniciado nesta segunda (17), programa de renegociação de dívidas prevê que bancos participantes ‘limpem nome’ de devedores com débitos até R$ 100.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira (17) que até 2,5 milhões de brasileiros com dívidas de até R$ 100 poderão ser desnegativados na primeira fase do programa de renegociação de dívidas do governo, o Desenrola Brasil.

Promessa de campanha do presidente, o Desenrola começou a operar nesta segunda. O objetivo é impulsionar, por meio de incentivos do governo federal às instituições credoras, a renegociação de dívidas de pessoas físicas.

Nesta etapa, além da negociação de débitos de uma faixa, bancos que optarem por integrar a iniciativa terão, porém, que “limpar o nome” de brasileiros com dívidas de até R$ 100.

A medida não significa um perdão. O débito seguirá existindo, mas os bancos vão se comprometer a não incluir os devedores no cadastro negativo.

Com isso, se não houver outras dívidas negativadas, o brasileiro nessa situação terá o “nome limpo” – e poderá voltar a comprar a prazo, contrair empréstimo ou fechar contrato de aluguel, por exemplo.